Indigo & Cristal

Indigo & Cristal
POR SERMOS ESPECIAIS
As crianças Índigo denunciam todas as estruturas fracas, frágeis e ultrapassadas existentes na sociedade actual. Com este trabalho os Índigo abrem caminho vibracional para os meninos Cristal. Estes continuarão depois o trabalho com energias mais subtis orientando o futuro de uma forma diplomata e amorosa.

Quando uma criança Índigo perde a ligação com a mãe Terra, perde o seu centro e por isso o seu equilíbrio. Deve nessa altura fazer uma meditação. Utilize sons da natureza para o ajudar a estabelecer a ligação o mais rápido possível. Repita o exercício várias vezes por semana e se possível sempre a mesma hora. Sobre tudo dê o exemplo, já que é por exemplo demonstrado que pode conseguir com paciência que este exercício passe a fazer parte integrante do dia a dia da criança ou jovem adolescente.

Uma criança Cristal perde o centro se exposta a situações que provocam o encerramento do chakra do coração, ou exposta a situações que perturbem gravemente o seu sistema emocional. Para equilibrar o seu sistema, este deve ficar mais tempo ligado à natureza.

A vibração índigo, centrada no 3º chakra tenta estar em contacto com tudo o que o rodeia e tem a capacidade de perceber tudo com verdade. A vibração Cristal quer deixar o individual e mudar para a perspectiva grupal, estão centrados no chakra do coração. A criança Cristal está centrada no coração por isso mais perto das emoções.

Tem um estreito contacto com tudo o que vive e se manifesta no planeta.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Classificação dos índigos – É necessário?

Por Simone Simões • sáb, 18 de julho de 2009 • 1.440 Visualizações


A humanidade trata o ser de forma desmembrada, em partes: corpo, mente e espírito, quando na verdade deveria tratar o ser como um Espírito num corpo que é uno consigo mesmo, ou seja, que não tem partes mas sim faz parte do todo, visto que tudo está interligado.


O Espírito traz consigo informações sobre suas vidas passadas que ficam contidas no seu corpo astral e as informações de seres que chegaram ao nível de índigos é diferente do padrão que a humanidade da terra está acostumada. Chegou a hora da mudança em todos os sentidos, vamos começar por nos sentir plenos, unos, seres que, antes de mais nada, são seres espirituais e que estão aqui na terra experimentando, vivendo, aprendendo a conviver com outros seres iguais a nós mas com outra individualidade.


As classificações… A humanidade está acostumada a classificar e rotular tudo e está na hora de começar a se libertar disso, classificação traz divisão e não é mais tempo de dividir mais sim de unir, é momento de nos aliarmos uns aos outros, de pensarmos que o bem do outro é o nosso próprio bem e que a beleza da vida está justamente nisso, na capacidade de sermos todos iguais (somos todos Espíritos com um corpo, com a mesma matéria física e espiritual), mas cada um com a sua individualidade e experiência.


E com os índigos não tem sido diferente, existem várias literaturas que classificam os índigos em vários aspectos, e gostaríamos que vocês entendessem que não há mais motivos pra isso, que os chamados índigos (é um rótulo que desejamos em breve não precisar mais usar), são seres Espirituais utilizando a matéria assim como qualquer outro ser que aqui se encontra, e que se continuar a classificá-los estarão de certa forma discriminando-os, sendo que dentro de alguns anos eles serão a maioria no Planeta.


Ao invés de classificar os índigos quanto ao tipo vamos explicar como se comportam no decorrer dos anos os grupos de índigos que aqui chegam.


O primeiro grande grupo que chegou ao planeta veio para falar as massas, plantar a semente da mudança, trazendo palavras de paz, amor, não-violência, liberdade de expressão, etc, que foi o que o movimento hippie fez até a década de 70. Podemos dizer que foram (são) grandes humanistas.


O próximo grande grupo a chegar atuou mais fortemente nas décadas de 80 e 90 e vieram trabalhar para provar o movimento anterior, são os seres mais técnicos, mais filósofos, mais curiosos, com mais energia que o grupo anterior.


O grupo que está atuando na geração 2000, a de agora, é uma mistura do primeiro e do segundo grupo, são seres que tem habilidades humanistas e técnicas, mas que vieram com uma vontade maior de fazer as coisas acontecerem, muitos estão começando a colocar essa energia em prática agora nesse período de mudanças e transições.


E o próximo grande grupo é o que está sendo criado agora, a nova geração de crianças que se preparam para agir de uma forma mais intensa da que o grupo que está atuando agora, serão mais intensos e terão mais pressa nas mudanças, a curiosidade é mais aguçada e encontram respostas mais rápidas para seus problemas. São pessoas mais sensíveis que o grupo anterior por isso o cuidado com a educação deve ser maior.


Vamos insistir no fato de que os pais precisam se preocupar em terem tempo para ficar com seus filhos, sem delegar essa responsabilidade para os avós, tios e para a escola, pois eles precisam dos pais, a ligação com os pais é forte e muito intensa e dessa relação é que vai surgir a força que eles precisam para revolucionar o mundo, eles precisam desse amor e calor que vem do colo do pai e do seio da mãe.
O papel dos índigos é muito importante para um planeta com seres humanos mais evoluídos, para um mundo onde o amor será o regente de toda a vida.
Tenha em mente que seus filhos são realmente o futuro da humanidade.
Muita luz a todos.
Pierre canalizado por Regina e decodificado por Simone Simões.
17/07/2009

Sem comentários:

Enviar um comentário

Loading...