Indigo & Cristal

Indigo & Cristal
POR SERMOS ESPECIAIS
As crianças Índigo denunciam todas as estruturas fracas, frágeis e ultrapassadas existentes na sociedade actual. Com este trabalho os Índigo abrem caminho vibracional para os meninos Cristal. Estes continuarão depois o trabalho com energias mais subtis orientando o futuro de uma forma diplomata e amorosa.

Quando uma criança Índigo perde a ligação com a mãe Terra, perde o seu centro e por isso o seu equilíbrio. Deve nessa altura fazer uma meditação. Utilize sons da natureza para o ajudar a estabelecer a ligação o mais rápido possível. Repita o exercício várias vezes por semana e se possível sempre a mesma hora. Sobre tudo dê o exemplo, já que é por exemplo demonstrado que pode conseguir com paciência que este exercício passe a fazer parte integrante do dia a dia da criança ou jovem adolescente.

Uma criança Cristal perde o centro se exposta a situações que provocam o encerramento do chakra do coração, ou exposta a situações que perturbem gravemente o seu sistema emocional. Para equilibrar o seu sistema, este deve ficar mais tempo ligado à natureza.

A vibração índigo, centrada no 3º chakra tenta estar em contacto com tudo o que o rodeia e tem a capacidade de perceber tudo com verdade. A vibração Cristal quer deixar o individual e mudar para a perspectiva grupal, estão centrados no chakra do coração. A criança Cristal está centrada no coração por isso mais perto das emoções.

Tem um estreito contacto com tudo o que vive e se manifesta no planeta.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

As Crianças da nova Civilização - 1



Não cabem dúvidas, o mundo atual está diante de uma problemática complexa e por demais difícil de ser resolvida. Pode-se dizer que sempre existiram problemas, que sempre existiram guerras, e descontentamentos sociais foram comuns na historia dos povos, como também que o homem atual não é melhor do que os seus predecessores. Evidentemente não poderia ser de outra forma, a terra é um palco aonde uma gama de personalidades almas vem representar os seus papeis evolutivos.
Queremos salientar que se observarmos a humanidade como um todo veremos que as pessoas não parecem apresentar um desnivelamento espiritual muito acentuado. Dentro do todo, os seres humanos são quase que uma mesma coisa. De modo idêntico, através das eras não parece haver grandes diferenças.
Assim a terra se comporta como um sistema estacionário aberto 1, mantendo um mesmo nível de desenvolvimento espiritual.
Essencialmente, dentro de certos limites, tanto na atualidade quanto em outras épocas as pessoas foram mais ou menos iguais, com uma problemática mais ou menos como a atual. Isto faz com que não tenhamos dúvidas de que a evolução só pode ser medida de uma forma global e mediante uma análise estatística.
Sempre existiram tiranos, sempre existiram maldades, mas se fosse possível uma apreciação estatística do comportamento das pessoas em diferentes sociedades poder-se-ia evidenciar claramente que praticamente não houve evolução alguma. Somente dentro de um mesmo ciclo é que se podem notar algumas modificações, mas é como se fossem apenas “marolas’ na superfície de um reservatório de água estacionário (uma piscina, por exemplo). Por um lado, pode-se pensar que o poder tirânico diminuiu muito porque hoje há coisas que não existiam há alguns séculos como Direitos Humanos e outras formas de controle das injustiças. Hoje, quando surge um tirano de um povo, há reação por parte dos demais povos em benefício dos oprimidos, o que não ocorria no passado.
O processo humano como um todo foi apenas técnico-científico, organazicional, e mesmo social.
A natureza humana não se modificou em praticamente nada e se assim não fosse a humanidade não estaria no "beco sem saída" em que se encontra atualmente. Se ela houvesse progredido moralmente, espiritualmente, então não haveria chegado a uma situação tão calamitosa.
1Um sistema estacionário aberto pode ser entendido pela seguinte analogia. Suponha-se uma piscina em que certo volume de 'água esta saindo e igual quantidade entrado. Em tal condição o nível permanece estacionário, é como se nela não estivesse havendo alteração alguma.Socialmente o mundo está apenas mais organizado hoje do que antes, mas de forma alguma espiritualmente melhor do que no passado, pois é claro que ele está muito mais conturbado do que antes.
Se muito da agressividade humana do passado não está se apresentando atualmente isso se deve mais ao respeito pelo medo do que por melhora da natureza das pessoas. Hoje para alguém executar uma agressão tem que pensar dez vezes, mas isso se deve mais ao desenvolvimento tecnológico do que à transformação do homem. A técnica foi o que de fato alterou a face do mundo atual. Se a sociedade atual parece ser mais humanizada é porque existe uma tecnologia temível, mas em termos médios ela se mantém como sempre se manteve no passado.
Antes os tiramos dispunham de armas elementares, os marginais não contavam com o meios
técnicos por isto causavam males mais limitados e assim faziam um número menor de vítimas. O número de vítimas da Segunda Guerra Mundial superou casa de milhões o que nunca aconteceu antes dentro desse atual ciclo, mas isso foi uma decorrência tão somente da técnica. No passado as guerras nunca vitimaram em tão elevado número, mas isso não significa que seja o resultado de uma modificação da natureza humana e sim conseqüência da tecnologia. Pensemos, pois, em Nero com a tecnologia atual em suas mãos. Se ele no passado incendiou Roma por pura maldade hoje sem dúvida alguma incendiaria
o mundo com bombas nucleares. Pensemos nos grandes conquistadores: Alexandre o Grande, Átila, Gengis-kan, Pizarro, e tantos outros, o que eles haveriam feito se dispusessem dos meios técnicos de que se dispõem hoje. Pensemos nas conquistas de todas as nações belicosas do passado com aquele poder absoluto sobre os povos conquistados, e no que fariam se dispusessem dos recursos técnicos atuais.
Pensemos na mentalidade dos senhores feudais dispondo da tecnologia atual, pensemos nos salteadores de caravanas e nos piratas do Caribe com as armas mortíferas que hoje poderiam ser facilmente adquiridas. Todos eles usariam muito dos meios de destruição, mas por outro lado seriam freiados temendo a autodestruição.
Apreciando o problema sem a precisa profundidade a pessoa pode chegar à conclusão de que não houve progresso, até pelo contrário, desde que as destruições no passado eram menores do que as da atualidade, que os homens do passado não chegaram a destruir o mundo, enquanto que agora a humanidade está diante de tal perigo.
Podemos perceber que os tiranos do passado não eram melhores e nem piores do que os atuais acontecem é que no passado, dentro do atual ciclo, não havia os meios para uma destruição global como existe atualmente. Se antes não extinguiram o mundo foi por não dispor de meios e agora pelo temor de um auto-aniquilamento.
A ganância, o desejo de domínio de uma pessoa sobre outras, de uma pessoa sobre um povo, e de uma nação sobre outra, não é maior e nem menor na atualidade do que o foi no passado, porém os meios que existem agora para levar isto a cabo é bem diferente e isso é o que muitas vezes faz conter o agressor.
Hoje, desapaixonadamente podemos analisar e concluir que há mais justiça social do que no
passado, mas isso é tão somente porque fatores de interesse dos grandes grupos precisam que assim seja para que disponham de mercado, etc.
Atualmente os governos são constituídos de tal forma que necessitam da anuência de um número bem maior de pessoas; têm eles que prestar contas ao povo sobre seus atos, mas tudo isso se prende unicamente à necessidade de uma sociedade estruturada da forma que conhecemos porque assim as pessoas se prestam melhor para serem exploradas. Não mais serem exploradas como escravos presos a grilhões, mas de muitas outras formas, como, por exemplo, a sociedade de consumo.
Sem dúvidas uma das grandes problemáticas da humanidade atual é decorrente de um grande desenvolvimento técnico sem uma filosofia humanística equivalente, e isso é algo muito perigoso.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Loading...