Indigo & Cristal

Indigo & Cristal
POR SERMOS ESPECIAIS
As crianças Índigo denunciam todas as estruturas fracas, frágeis e ultrapassadas existentes na sociedade actual. Com este trabalho os Índigo abrem caminho vibracional para os meninos Cristal. Estes continuarão depois o trabalho com energias mais subtis orientando o futuro de uma forma diplomata e amorosa.

Quando uma criança Índigo perde a ligação com a mãe Terra, perde o seu centro e por isso o seu equilíbrio. Deve nessa altura fazer uma meditação. Utilize sons da natureza para o ajudar a estabelecer a ligação o mais rápido possível. Repita o exercício várias vezes por semana e se possível sempre a mesma hora. Sobre tudo dê o exemplo, já que é por exemplo demonstrado que pode conseguir com paciência que este exercício passe a fazer parte integrante do dia a dia da criança ou jovem adolescente.

Uma criança Cristal perde o centro se exposta a situações que provocam o encerramento do chakra do coração, ou exposta a situações que perturbem gravemente o seu sistema emocional. Para equilibrar o seu sistema, este deve ficar mais tempo ligado à natureza.

A vibração índigo, centrada no 3º chakra tenta estar em contacto com tudo o que o rodeia e tem a capacidade de perceber tudo com verdade. A vibração Cristal quer deixar o individual e mudar para a perspectiva grupal, estão centrados no chakra do coração. A criança Cristal está centrada no coração por isso mais perto das emoções.

Tem um estreito contacto com tudo o que vive e se manifesta no planeta.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

A ERA DE PEIXES E A NOVA ERA DE AQUÁRIUS


Quando estudamos e analisamos uma era não vale generalizar, julgar que as características de uma era não se manifestam na seguinte e não seja prenuncio de uma futura. O que vale considerar é uma média das características predominantes. Vê a civilização como um todo e não partes isoladas, pois o que há é uma tendência para uma determinada qualidade, mas isso também depende de muitos fatores.
A razão por que se tem ouvido falar tanto sobre uma nova era fundamenta-se na crença de que os ciclos de evolução são desenvolvidos através de diferentes eras astrológicas, cada uma com características distintas. Acreditam que a plenitude de influência da humanidade evoluiu dentro das seguintes eras: 4
Touro: de 4304 a 2154 a.C
Carneiro: de 2154 a 4. a.C.
Peixes: de 4 a.C. a 1991 d.C
Aquários de 1291 d.C. a 4296 d. C.

A Era Cristã – Era de Peixes – é considerada a da religiosidade e da inspiração. Cálculos matemáticos indicam que ela se iniciou com o sol precessional a 0º de Peixes. Mas as características só se intensificaram por volta do ano de 291 d.C., mesmo que suas vibrações já se fizessem sentir bem antes, favorecendo as profecias e do cumprimento de muitas delas, em especial a da vinda de Jesus. O mesmo está acontecendo agora, antes mesmo que houvesse tido início a Era de Aquárius, já se faziam sentir parcialmente algumas vibrações inerente à Nova Era. Isso acontece porque as eras não se sucedem de forma abrupta e sim progressivamente, em “dégradé” podemos dizer. Isso decorre do fato das eras serem assinalada conforme a constelação que o eixo da terra aponta. A terra tem um movimento – libração – que faz o seu eixo se desloque – aponte – para a abobada celeste um circulo no qual 12 constelações são progressivamente apontadas. Esse deslocamento do eixo da terra se faz em movimento contínuo.
Muitas características de uma era continuam presentes na seguinte porque não existe uma verdadeira demarcação entre as constelações zodiacais. Por isso as transformações vão ocorrendo um tanto miscigenadas. Vale considerar também que as transformações de eras não implicam em que somente as características de uma era considerada se manifestem sozinha, pois as condições do desenvolvimento cultural dependem de muitos fatores não diretamente vinculados à determinada era. Tem que ser considerado a própria polaridade de tudo quanto há, de cultura, e em especial do Principio Mental. O que existe em uma era é a presença de condições básicas, características.
As manifestações de era basicamente resultam apenas de uma condição astrológica favorável a determinadas condições. Acontece assim porque a terra em seu giro espacial atravessa muitos canais de energia. Por isso, cada era tem suas características básicas, mas não que não ocorrerão obrigatoriamente, pois isso também depende muito de outros fatores. Por essa razão, mesmo na Era de Aquário poderão ocorrer características de todas as eras, especialmente a anterior – peixes – embora a predominância seja aquariana.
A Era que antecedeu a de Peixes foi a de Áries, signo onde predominam as grandes conquistas através do sangue, da lei da espada, do poder agressivo e do mando do mais forte. Constatamos através da historia a aberração que foi a fé, a espiritualidade, a sensibilidade ao sofrimento alheios, em contraposição à força bruta e ao poder da autoridade que ocorreram. A Era de Áries foi caracterizada pelo início do estabelecimento dos grandes impérios. Aparecimento do cavalo como arma de guerra, utilizado de estratégias bélicas. Moises conduziu seu povo à libertação da escravidão no Egito. Explosão demográfica na Grécia e intensificação das guerras entre as cidades-estados. Desenvolvimento dos sistemas políticos. Como o Princípio da Polaridade está sempre presente, então, se por um lado houve energia de união como pregou Jesus, por outro se viu o surgimento de grandes maldades até mesmo praticadas em nome do próprio Cristianismo (Inquisição), de sistemas políticos nem um pouco espiritualizados tais
como Nazismo, Fascismo, Maxismo, etc.
No decorrer da Era de Peixes, o homem foi levado pelo caminho da emoção, da sensibilidade, que se por um lado favorável às idéias espiritualizadas, teve como pólo oposto a incidência de carnificinas que ocorreram nas guerras.
Na Era de Peixes, mesmo sendo uma era de desenvolvimento espiritual, ainda assim a liberdade foi tão coibida que os adeptos de determinadas doutrinas tinham que usar simbolos como senha de reconhecimento. No Egito onde os hebreus desenhavam peixes nas portas como sinais de reconhecimento, o mesmo acontecendo em Roma, em muitos pontos e em especial nas Catacumbas onde se refugiavam cristãos perseguidos.
Vale salientar que o signo chega a decisões inerentes a ele, como, por exemplo, os doze Apóstolos eram pescadores. No campo espiritual o que mais evidenciou a Era de Peixes foi a difusão do Monoteísmo em substituição ao Politeísmo de outras eras, embora na Era de Carneiro já houvesse surgido a religião Monoteísta disseminada pelo Judaísmo. Mesmo antes, na Era de Touro, no Antigo Egito haja sido feita a tentativa nesse sentido, mas sem sucesso de ser estabelecido o monoteísmo. Podemos dizer que mesmo alguns iniciadores isolados hajam pregado o Monoteísmo ele só foi aceito por poucos, e até mesmo perseguido violentamente como aconteceu com Amenophis IV que foi trucidado juntamente com todos os seus seguidores em uma revolução sanguinolenta que fez o Egito voltar ao domínio do politeísmo. Houve guerra e Tel El la Marna, cidade fundada sob os auspícios monoteísta de Amenophis IV foi arrasada, e os adeptos eliminados, voltando a dominar o politeísmo sem oposição. Isso aconteceu porque o povo não estava ainda respondendo à energia de Peixes e sim a de Touro. Dissemos que nas manifestações de uma era também entra em conta o Princípio da Polaridade, sendo isso uma das razões pela qual no Antigo Egito já haver se originado o Unismo sob a orientação de Thoth (Hermes Trimemistrus). Como o Egito é muito antigo, talvez isso haja sido estabelecido em outro signo de um ciclo anterior e permanecido como um registro renascido ou como resultado da polaridade manifestação dos opostos. Num estremo o politeísmo e do outro o Monoteísmo.
A civilização egípcia, oriunda da Atlântida, já existia em outras eras, pois os ciclos de doze signos se repetiram muitas vezes. O ciclo das eras leva em torno de 26.000 anos. Assim algumas civilizações também existiram na “rodada anterior dos signos”. Por exemplo, estamos na Era de Aquários, mas essa era já ocorreu em muitos ciclos anteriores, assim uma civilização muito longa pode haver vivenciado outros signos. Isso deixa sinais evidentes. Muito da espiritualidade egípcia, pode haver sido uma herança de outros signos anterior. Na verdade o Monoteísmo antes de Akineton ( Amenophis IV ) foi ensinado por Thoth, que, como sabemos, foi Mestre na Atlântida.
Também não se pode esperar que a energia própria de signo afete igualmente a todas pessoas, pois também tem que ser levada em conta nisso o nível de desenvolvimento espiritual e de muitas outras condições estabelecidas em outro signo.
Somente com os prenúncios da Era de Peixe foi que o Monoteísmo pôde passo-á-passo ser estabelecido, em especial a partir dos Hebreus. Mas, o estabelecimento pleno da Era de Peixes teve como marco Jesus cristo.
Queremos salientar que Jesus Cristo foi na Era de Peixes a principal entidade que já existiu no Mundo Ocidental nesse atual Ciclo de Civilização, mesmo assim se ele houvesse vindo em outra era, como a de Touro, por exemplo, ou outra anterior seus ensinos não seriam ouvidos e aceitos por quase ninguém e assim o Cristianismo não teria aparecido. Sobre a influência da Era de Peixe a humanidade se tornou um pouco mais responsiva a valores espirituais, e mesmo assim Jesus foi crucificado e o Cristianismo inicial muito perseguido, muito foi feito para a eliminação da doutrina de Jesus. Mas como o signo já era favorável, mesmo com dificuldades e alterações, ele foi se firmando, mas ele só foi aceito parcialmente em Peixes, mas podemos dizer que eles só serão plenamente praticados a partir da Era de Aquário, quando, então haverá um Nova maneira de sentir a espiritualidade.
A Era de Peixes estabeleceu apenas o início de uma maior sensibilidade e a inspiração no sentido mais puro do que até então predominava. Descobriu-se a sensação da bem-aventurança, do estado de graça. Seja por motivo religioso ou pela própria sensibilidade se pode chegar ao entendimento da beleza da vida, através das artes, do cinema, da pintura e principalmente da música, características que a astrologia atribui a Netuno, regente de Peixes. A sensibilidade tornou-se real no seu destaque, como a outros indicadores dessa Era: Os medicamentos, a anestesia, e como pólo oposto muitas bebidas alcoólicas, drogas e maia negra.
Foi a Era de Peixes que a música mais se desenvolveu, nele viveram os grandes músicos, o
mesmo acontecendo com a pintura. Por outro lado, o sublime quando não alcançado, gera oposto cujas características geram sofrimento e o embaraço, trazendo perseguições por motivos religiosos; tais como a Inquisição e o Holocausto e outros.
Mesmo que a Era de Peixe haja sido favorável a espiritualidade mesmo assim nela não evoluíram as próprias religiões tradicionais; alguns países nem todas evoluíram a contento, alguns países não evoluíram em suas religiões e as exercitam de forma fanática e desequilibrada. A ilusão e a ignorância cegam, levam ao sofrimento por se perder o sentido da vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Loading...