Indigo & Cristal

Indigo & Cristal
POR SERMOS ESPECIAIS
As crianças Índigo denunciam todas as estruturas fracas, frágeis e ultrapassadas existentes na sociedade actual. Com este trabalho os Índigo abrem caminho vibracional para os meninos Cristal. Estes continuarão depois o trabalho com energias mais subtis orientando o futuro de uma forma diplomata e amorosa.

Quando uma criança Índigo perde a ligação com a mãe Terra, perde o seu centro e por isso o seu equilíbrio. Deve nessa altura fazer uma meditação. Utilize sons da natureza para o ajudar a estabelecer a ligação o mais rápido possível. Repita o exercício várias vezes por semana e se possível sempre a mesma hora. Sobre tudo dê o exemplo, já que é por exemplo demonstrado que pode conseguir com paciência que este exercício passe a fazer parte integrante do dia a dia da criança ou jovem adolescente.

Uma criança Cristal perde o centro se exposta a situações que provocam o encerramento do chakra do coração, ou exposta a situações que perturbem gravemente o seu sistema emocional. Para equilibrar o seu sistema, este deve ficar mais tempo ligado à natureza.

A vibração índigo, centrada no 3º chakra tenta estar em contacto com tudo o que o rodeia e tem a capacidade de perceber tudo com verdade. A vibração Cristal quer deixar o individual e mudar para a perspectiva grupal, estão centrados no chakra do coração. A criança Cristal está centrada no coração por isso mais perto das emoções.

Tem um estreito contacto com tudo o que vive e se manifesta no planeta.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Os últimos Tempos 3


A dissolução da unidade familiar é algo patente nos nossos dias, quando a autoridade dos pais foi totalmente eliminada e o desrespeito generalizado. Os filhos já não se sentem no dever de respeitarem os pais e nem sequer de ouvi-los, porque, segundo erroneamente ensina a psicologia, não é bom que os progenitores mandem, mas que apenas dialoguem. Ora, diálogo não é possível quando uma das partes desconhece as implicações de um problema. Não se pode dialogar com os filhos a respeito de muitos problemas pois não são muitas vezes, em decadência da própria maturidade, capazes de assimilar certas verdades profundas que somente a vivência concede. Não estamos aqui a tentar favorecer a ditatoriedade paterna e sim que os pais precisam ter certa ascendência, certa autoridade, para orientar a conduta dos filhos enriquecendo-a com suas experiências pessoais.

Mais tarde, com o decorrer do tempo, eles próprios lhes agradecerão e terão consciência que foi o melhor para eles.
Hoje o respeito filial está quase que totalmente eliminado, os filhos passam a agir da maneira como bem querem, pois os próprios pais, baseados no que a psicologia superficial ensina, não proíbem coisa alguma, nem mesmo coisas basicamente absurdas, para evitarem supostos "traumas" no desenvolvimento psicológico dos filhos. A consequência desse conceito erróneo é a marginalidade juvenil e más condutas que já hoje presenciamos. 

Este é um quadro simplificado da nossa época quando já não se tem paz nem dentro e nem fora de casa. A segurança individual foi totalmente abolida, aquele que sai pela manhã não sabe se regressará à noite em decorrência dos mais diversos desatinos existentes no mundo actual. Tudo isso é a obra do que há de menos bom na sociedade e em todo o universo tentando dominar o mundo mas o tempo é chegado, o egrégora do mal será afastado em breve e o DOMÍNIO DO PODER SUPERIOR ESTABELECIDO.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Loading...