Indigo & Cristal

Indigo & Cristal
POR SERMOS ESPECIAIS
As crianças Índigo denunciam todas as estruturas fracas, frágeis e ultrapassadas existentes na sociedade actual. Com este trabalho os Índigo abrem caminho vibracional para os meninos Cristal. Estes continuarão depois o trabalho com energias mais subtis orientando o futuro de uma forma diplomata e amorosa.

Quando uma criança Índigo perde a ligação com a mãe Terra, perde o seu centro e por isso o seu equilíbrio. Deve nessa altura fazer uma meditação. Utilize sons da natureza para o ajudar a estabelecer a ligação o mais rápido possível. Repita o exercício várias vezes por semana e se possível sempre a mesma hora. Sobre tudo dê o exemplo, já que é por exemplo demonstrado que pode conseguir com paciência que este exercício passe a fazer parte integrante do dia a dia da criança ou jovem adolescente.

Uma criança Cristal perde o centro se exposta a situações que provocam o encerramento do chakra do coração, ou exposta a situações que perturbem gravemente o seu sistema emocional. Para equilibrar o seu sistema, este deve ficar mais tempo ligado à natureza.

A vibração índigo, centrada no 3º chakra tenta estar em contacto com tudo o que o rodeia e tem a capacidade de perceber tudo com verdade. A vibração Cristal quer deixar o individual e mudar para a perspectiva grupal, estão centrados no chakra do coração. A criança Cristal está centrada no coração por isso mais perto das emoções.

Tem um estreito contacto com tudo o que vive e se manifesta no planeta.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A GERAÇÃO CONTESTADORA


Todos os dias nos defrontamos com anúncios tanto ou quanto insólitos nos jornais de todas as cidades: " Saiu para o colégio e não mais regressou. Favor, informações para o telefone..." " jovem desaparece deixando pais aflitos... A polícia não encontra explicações que justifiquem a atitude do menor...".
"Sem levar qualquer dos seus pertences, jovem de 15 anos abandona o lar sem razões aparentes não deixando quaisquer pistas...". "Grupo de jovens abandonam o conforto dos seus lares e incorporam-se à seita aberrante...". Também muitos pais procuram psicólogos e até mesmo psiquiátrico com a queixa de que o filho apresenta comportamento incomum e excepcional.
Poderíamos citar centenas de notas semelhantes a estas que praticamente todos os dias são publicadas, ou comentadas, nas colunas dos órgãos de divulgação das diferentes cidades.
O problema vem se ampliando todos os dias, os departamentos de registro de pessoas desaparecidas das agências policiais registram milhares de desaparecimentos sem praticamente quaisquer pistas. Esse é um fenômeno de nossa era e que tem crescido a cada dia. Uma ocorrência que diz respeito a um número tão elevado de pressões não deixaria de ser submetido à apreciação dos sociólogos e psicólogos de um modo geral. Dessa forma, ultimamente, inúmeros estudos têm sido realizados visando identificar a causa básica de tais desaparecimentos, mas todas as explicações realmente não são exatas.
Igualmente o assunto tem dado margem a inúmeras especulações; algumas delas desvairadas, como seqüestro por parte de naves espaciais e coisas assim. Não estamos entrando no mérito da questão, tais naves existem ou não, o que queremos pondo em evidência é que de forma alguma se pode responsabilizá-las por tais desaparecimentos porque aqueles jovens perdem suas identidade onde são conhecidos e mas vão fazer parte de legiões de jovens contestadores que existem em todas as cidades.
Assim não se deve por a culpa em naves extraterrestres desde que os desaparecidos de um lugar apenas passam a viver em outros lugares.
Outro quadro que merece atenção especial é, sem dúvidas, o do relacionamento atual entre filhos e pais. Em todos os lares parece que atualmente pais e filhos não falam mais a mesma linguagem.
Por mais que os pais tentem educar os filhos segundo as normas morais e éticas que receberam dos seus predecessores, atualmente estes valores são contestados e catalogados de "quadrados". Todos os valores paternos não são mais aceitos, os filhos têm uma forma de pensar totalmente diferente da dos pais. Diante de tal rebeldia a primeira tendência é de se julgar que os filhos de hoje são maus e irresponsáveis porque não querem obedecer integralmente aos pais e bem menos aos educadores. Porém se, com isenção de ânimos, analisarmos aqueles jovens rebeldes, vamos sentir que não existe neles tanta maldade quanto se lhes atribuem. Pelo contrário, em muitos deles vamos encontra-se bem menos ódios, mágoas e rancores do que nos próprios pais. Simplesmente eles contestam desobedecendo, mas não praticando maldades propriamente.
Há neles mais amor e mais compreensão para com os seus semelhantes do que na sociedade
organizada. Muitas vezes a rebeldia é no sentido da não aceitação de uma forma de vida baseada na tecnologia, no comércio empresarial, na ganância, e no egoísmo desmedido. No fundo eles não se negam a trabalhar, apenas não aceitam o tipo de trabalho que lhes querem impor, aquele tipo de trabalho empresarial, sem criatividade e que, em essência é à base da exploração do homem pelo homem. Parecem perdulários porque não são tão egoístas quanto os pais e não trabalham conforme estes desejam porque o tipo de trabalho que lhes é oferecido eles não podem aceita-lo por ser algo essencialmente egoístico, individualístico, e explorador.
Não se interessam por estudos científicos porque no fundo sentem repulsa por pesquisas que
permitem meios cada vez mais eficientes para explorações e destruições dos seres em geral. Rebelam-se contra as normas da família, contra os brasões, contra os nomes tradicionais, pois, no fundo, sentem naquilo apenas uma manifestação de vaidades, de orgulho, e de prepotência.
Rebelam-se centra o sistema de ensino, rebelam-se contra inúmeras coisas, mas, em essência, vamos encontrar neles mais amor, mais desprendimentos, e mais atenção pelas coisas belas da natureza do que em seus ancestrais. Todas esses reações fundamentalmente são processos inconscientes que comandam os seus padrões de comportamento.
Os estudiosos do assunto atribuem essa forma contestatória de vida a desajustamentos familiares, à problemática do casal, à falta de atenção por parte dos pais em virtude do trabalho que preencher todas as horas disponíveis para a atenção aos filhos. Hoje a mulher geralmente trabalha, quando no passado era somente o chefe da família quem o fazia.
A sociedade de Consumo exige que todos os elementos da família trabalhem e assim os filhos ficam cada vez mais desasistidos. As influências dos meios de divulgação, jornais, televisão, cinema, rádio, revistas e muitos elementos deformantes da personalidade dos jovens são imputados como causa do fenômeno em estudo.
Não estamos dizendo que todas aquelas coisas não têm importância. Não duvidamos que a causa da rebeldia de muitos jovens seja decorrente daquelas situações também, porém a rebeldia atual tem raízes mais profundas. Aqueles fatores são apenas elementos desencadeastes, são como que a pressão exercida sobre um gatilho armado. A verdadeira causa é bem mais profunda; as raízes do descontentamento baseia-se em algo bem mais delicado e praticamente desconhecido da quase totalidade das pessoas.
Em muitos casos uma análise comportamental pode encontrar alguma causa desencadeante,
contudo, mesmo nestes casos, ainda é válida a indagação quanto à motivação mais profunda desse tipo de reacção. Quando o analista encontra uma causa, um motivo para um desajustamento, mesmo assim, ainda se deve indagar se aquela problemática é a causa primeira, ou se apenas é um fator desencadeante de uma predisposição. Por exemplo, será que o desajustamento de um casal é a única causa essencial de um distúrbio de conduta de um filho? Então porque razão, muitas vezes, apenas um dos elementos da família é atingido? Por qual razão aquele elemento rebela-se e outro não quando todos viveram os
mesmos problemas, tiveram o mesmo tipo de formação, geneticamente parecidos por serem irmãos? Seria aquela diferença de reação entre irmãos unicamente uma diferenciação biológica individual motivando uma espécie de fragilidade psicológica? Outras vezes a psicanálise não leva a fator algum que possa ser considerado como motivador da insatisfação, da contestação, da rebeldia. Neste caso, indagase qual o motivo essencial !?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Loading...