Indigo & Cristal

Indigo & Cristal
POR SERMOS ESPECIAIS
As crianças Índigo denunciam todas as estruturas fracas, frágeis e ultrapassadas existentes na sociedade actual. Com este trabalho os Índigo abrem caminho vibracional para os meninos Cristal. Estes continuarão depois o trabalho com energias mais subtis orientando o futuro de uma forma diplomata e amorosa.

Quando uma criança Índigo perde a ligação com a mãe Terra, perde o seu centro e por isso o seu equilíbrio. Deve nessa altura fazer uma meditação. Utilize sons da natureza para o ajudar a estabelecer a ligação o mais rápido possível. Repita o exercício várias vezes por semana e se possível sempre a mesma hora. Sobre tudo dê o exemplo, já que é por exemplo demonstrado que pode conseguir com paciência que este exercício passe a fazer parte integrante do dia a dia da criança ou jovem adolescente.

Uma criança Cristal perde o centro se exposta a situações que provocam o encerramento do chakra do coração, ou exposta a situações que perturbem gravemente o seu sistema emocional. Para equilibrar o seu sistema, este deve ficar mais tempo ligado à natureza.

A vibração índigo, centrada no 3º chakra tenta estar em contacto com tudo o que o rodeia e tem a capacidade de perceber tudo com verdade. A vibração Cristal quer deixar o individual e mudar para a perspectiva grupal, estão centrados no chakra do coração. A criança Cristal está centrada no coração por isso mais perto das emoções.

Tem um estreito contacto com tudo o que vive e se manifesta no planeta.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

COMO RECONHECER ÍNDICOS E CRISTAIS


Os Detonadores de Sistemas: O Caminho do Guerreiro Índigo
As Índigos têm estado a vir para o nosso planeta há bastante tempo. Alguns argumentam que Jesus e Buda eram Índigos, visto que a missão deles, numa escala global, era ensinar, curar, e de mudar a consciência da Humanidade.
No passado recente, as Índigos começaram a encarnar em números crescentes depois da Segunda Guerra Mundial, em preparação para a mudança global que estamos agora a viver. Elas encarnaram entre a geração de "crescimento súbito de bebês" dos anos cinquenta e nasceram das "crianças flores" dos anos sessenta. No entanto, nesta altura não havia um número suficiente delas no nosso planeta para criar mudanças significativas.
Então, nos anos 70, a primeira "onda" da geração de Crianças Índigos chegou. Estes seres estão agora nos seus vinte anos tardios e nos seus trinta anos iniciais, e é a geração "guerreira" verdadeira que começou o processo de desafiar e mudar velhos sistemas.
Elas foram seguidas nos anos oitenta e noventa por Índigos com sensibilidade e refinação aumentadas até aos anos noventa tardios e anos dois mil iniciais aonde elas são misturadas em companhia das Crianças Cristais, um tipo diferente de guerreiro espiritual.
Como Reconhecer um Índigo.
Perguntam-me frequentemente no decorrer do meu trabalho, como reconhecer um Índigo. A resposta óbvia é verificar a cor da aura. Mas não, nem todos os Índigos têm auras de cor azul escuro o tempo todo. O termo "Índigo" refere-se ao estado da alma e não à cor da aura, que num humano típico muda de dia para dia dependendo da disposição e interesse. Videntes que vêm os estado das almas podem identificar Índigos.
No entanto, é fácil identificar um Índigo pela sua sensibilidade, criatividade, espiritualidade e padrões gerais de comportamento. Como crianças, elas parecem-se como todas as outras crianças, embora sejam frequentemente bonitas e com olhos penetrantes. São sempre altamente inteligentes e cheias de perguntas e exigências. Elas são energéticas e ativas e têm força de vontade resolutas e um senso forte do seu próprio
valor e importância. Sabem que são especiais e que estão aqui para fazer alguma coisa significativa. Elas são orientadas pela parte direita do cérebro e são geralmente atraídas por atividades/ocupações que usam a parte direita do cérebro, tais como música, arte, escrita e espiritualidade. Adoram cristais, Reiki, meditação e yoga. Têm uma natureza muito arrebatada e são intensivamente leais aos seus amigos, os quais
costumam serem muitos. Acreditam em honestidade e comunicação nas relações. Elas ficam frequentemente desconcertadas com desonestidade e manipulação e outras formas de comportamento egoísta que é considerado normal pelas pessoas mais velhas. A sua atitude para com dinheiro é de ou rejeitá-lo como desnecessário ou de estar muito consciente do seu poder e procurar, muitas vezes com sucesso, criar abundância para elas próprias. Uma característica chave das Índigos é frequentemente a sua ira. Elas não irão ser mandadas ou dominadas pelas supostas "figuras de autoridade". Num nível profundo, os Índigos não reconhecem "autoridade". Sabem que somos todos iguais, e por isso ficam irritados/furiosos com aqueles que assumem autoridade e se comportam ditatorialmente, quer sejam pais, professores ou patrões.
É neste caso que elas são importantes como professoras - elas estão a nos ensinar a ser donos do nosso próprio poder e a nos respeitar a nós próprios, por não dando o nosso poder àqueles que o exigem. Adicionalmente elas estão a nos ensinar a dar valor ao nosso Eu criativo e espiritual e a não pôr tanto valor no sucesso material.
A Criança Índigo
A Índigo como criança é ativa, energética e imaginativa. Elas podem se entreter a si próprias e brincar por horas nos seus próprios mundos. Elas frequentemente têm amigos imaginários, e elas adoram fadas e golfinhos. Os rapazes frequentemente têm uma tendência para hiperatividade e comportamento disruptivo.
Isto é provavelmente determinado culturalmente pela necessidade da nossa sociedade de expressar domínio masculino, que eles apanham quando são novos.
A inteligência excepcional das Índigos pode ser exasperante para os adultos. Ninguém lhes "dirá o que fazer", mas quererão debater e negociar cada instrução. Até que os pais aprendam que estão a ser ensinados a respeitar o direito de escolha da criança, e honrar essa escolha, eles continuarão a ser confrontados a cada esquina com lutas de poder e batalhas de força de vontade.
A maneira correta de lidar com um Índigo é de estar disposto (a) a negociar, explicar e dar-lhes escolhas. Instruções como "faz como te é mandado" só produzirão hostilidade e indiferença.
As Índigos geralmente desgostam da escola intensivamente. Elas ficam entediadas pelo paço
vagaroso (para elas) e pelas tarefas repetitivas consideradas adequadas para as crianças pelos professores que não percebem a inteligência delas.
Elas lutam com autoridade e pressão de colegas, que podem ser bastante opressivos para uma alma jovem Índigo com pouca compreensão real do "poder sobre os outros", do domínio e estados de submissão comuns à sociedade da Terra.
Problemas que ocorrem na escola incluem TDA e TDAH, um resultado do tédio e irritação. Deficiências de educação tais como dislexia frequentemente também refletem as maneiras alternativas de ser e pensar das Índigos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Loading...